quarta-feira, 15 de junho de 2011

A arte e sua interação moderna.



 A interação com um espectador faz com que a arte se torne interativa. Toda arte é interativa quando sua expressão artística tem uma interação com a obra. Algumas obras estão conseguindo realizar essa interação com as pessoas, onde permite introduzir na peça. Alguns trabalhos necessitam de estímulos de som, calor, toque, e outros para efetuar o movimento, também alguns têm uma integração com hipertextos para navegar. 



     

Arte interativa não deve ser confundida com outros tipos de arte que não permitem este diálogo. Com a modernização histórica da arte cada cultura, sociedades se apresenta com posturas diferentes de se apresentar, com subjetividade utilizado em suas fontes.

As três fases da arte - Da obra artesanal a obra eletro- eletrônica.

Durante o século vinte, o mundo vivera uma experiência que mudaria a vida todos daquela geração. Estamos falando exatamente do período que vai de 1939 a 1945, conhecido como Segunda Guerra Mundial.
Envolvendo todas as potências do mundo, em todos os cenários sociais era clara a presença desse novo olhar da sociedade, sobre as questões a sua volta. Tendo enorme influência nos sete campos de manifestação artística, ainda era nítida a influência e a necessidade dos artistas de demonstrarem suas opiniões, sentimentos e pensamentos sobre aquele período.
Na literatura; vemos dois movimentos andarem lado a lado, o Construtivismo e o Concretismo, personificados por Haroldo Campos, Umberto Eco (“Obra Aberta”, 1962), Noigrandes (grupo fundado por Augusto e Haroldo de Campos e Décio Pignatari), Ferreira Gullar dentre outros, onde os escritores questionavam a visão da ambigüidade e das semânticas plurilingües da mensagem estética, ou seja, dos inúmeros sentidos que a literatura pode e deve seguir.



Na pintura, vivenciamos um período chamado de Expressionismo, onde Jackson Pollock era um dos nomes de maior relevância da época. Pela sua forma inovadora de pintar, “o dripping” (o gotejamento), onde o artista deixava gotejar a tinta sobre a tela. Tendo sofrido influência do surrealismo, Pollock tinha uma forma mais abstrata e livre de trabalhar, isso porque, muitas vezes deixava a tela no chão e não usava pincéis para pintar.

No chão eu me sinto mais confortável. Eu me sinto mais próximo, mais uma parte da pintura, pois desta forma eu possa andar em torno dele, o trabalho em todos os quatro lados e literalmente estar na pintura. – J. Pollock.


Caminhando para a década sessenta, observa- se uma nova tendência da arte. A necessidade do artista de “ter” a Participação do Espectador contribui para o surgimento da arte pluridisciplinar, onde nem o artista nem o espectador estão presos as normatizações impostas, e a criação e recriação são bem vindas, aceitas e compartilhadas por todos. Nesse contexto, vale lembrar que o conceito de happenings passa a ser infinito, pois não há começo, meio e fim para a criatividade do espectador.
Motivados pelo desejo natural de todo artista de inovar e causar polêmicas, Max Bense  e Jasia Reichardt, organizam a primeira exposição com obras de arte criadas com a ajuda de recursos computacionais. 
Aceita por muitos, como por Philippe Quéau que diz “A iconografia computadorizada anuncia- se como uma nova ferramenta de expressão artística que dispões de um duplo campo de investigação formal e sinestésico.”, agora o conceito de autor-obra- espectador, antes visto e aceito, sugere novas remodelações e conceituações.
Com novas dimensões a serem exploradas no campo da arte computacional, as noções de interação, interatividade e multisensorialidade, passam a ser problema para a ordem de percepção visual e real em que as obras se apresentam.
Sendo assim, as obras de arte interativas apresentam inúmeras possibilidades para imprevistos, co-criações e possibilidades, dependendo somente da inteligência coletiva e das semânticas a serem objetivadas pelos artistas da comunicação.

Por Natália Carneiro

terça-feira, 14 de junho de 2011

Fisíca, também é Interatividade!!!

Não, isto não é um devaneio. Newton, explica!
Na época do colégio, aprendemos no estudo de Física Mecânica, sobre a as aplicações das leis de Newton, para quem esqueceu, recordemos:
"Toda ação provoca uma reação de igual intensidade, mesma direção e em sentido contrário".
Como já sabemos, ao tocar na tela de qualquer equipamento com tecnologia touch, estamos provocando uma ação que será interpretada e respondida de alguma forma pelo objeto.  Até aí, é visível a relação entre a terceira lei e a interatividade. Nas obras de arte eletrônicas, o mesmo processo é evidenciado.
Veja no vídeo.


No video, percebemos que a pessoa usando um simples controle do jogo Wii, torna se autor e ao mesmo tempo parte da própria obra, que está sendo montada.
A sensorialidade instigada ao entorno daquele emissor e receptor/agente e resultante, daquele movimento nos mostra que as barreiras da criação entre o que se faz artista  e o que se fez arte, são infinitas e cheias de possibilidades e estão aí para serem desbravadas e co-criadas.

Por Natália Carneiro.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Necessito de Interação

Até agora conhecemos o conceito da arte interativa, como é feita, como acontece, o que fazer e como fazer, mas a arte interativa abrange muito mais, perceber o que há por trás disso. Hoje, com alta tecnologia foi possível trazer essa arte interativa mais perto do espectador, fazendo com que este, se sinta parte daquela obra; mas esse é o grande barato da interatividade no mundo onde, cada vez mais queremos aproximação sem a presença real, aquela olho no olho; a interatividade ter ganho uma força realmente absurda.
Hoje, praticamente tudo que queremos tem que ser interativo, tanto na comunicação, quanto na arte; estamos cada vez mais necessitados dos avanços das tecnologias.
        
Por: Ada Marias Dias

sexta-feira, 10 de junho de 2011

clique aqui para tocar!

Clique aqui para tocar!




Imagem especial no site de busca é uma guitarra virtual em  que o usuário pode tocar.
Os Doodles de datas especiais são um espetáculo à parte do Google. ontem (9), o homenageado foi o guitarrista, compositor e inventor Les Paul. Quem acessar a página do mecanismo de busca vai se deparar com uma guitarra virtual tocável.


São 10 cordas, cada uma com um som de uma nota, é preciso arrastar o mouse sobre para tocar. E pode-se usar mais de uma corda ao mesmo tempo, o que gera sons mais complexos. Logo abaixo da guitarra, há um pequeno ícone para poder tocar com o teclado. É só clicar nele para que cada tecla tenha um som, inclusive as de 1 a 10.


 O efeito animado da corda também merece menção, pois é bem feito e colorido.
Até mesmo quem não é músico pode pensar em agradáveis sequências de notas. Nas teclas, a brincadeira fica um pouco mais fácil. Com um editor de áudio, não é difícil gravar composições e se divertir com mais um Doodle espetacular.


Para curtir a brincadeira, é só acessar este endereço: clique aqui para tocar!
Clicando no Doodle, faça a sequência e clique de novo para parar. O Doodle cria um link com a música, e você pode mandá-la para quem quiser


Confira algumas “partituras”

Digite essas teclas no ritmo certo e curta essas músicas com o Doodle!


·        Trilha do filme “Poderoso Chefão”: D H K J H K H J H F G D

·         Trilha do filme “Indiana Jones”: ERTI WER TYUP YU IOP

·         Trilha do filme “Harry Potter”: E Y I U Y P O U Y I U Y U E

·         Marcha Imperial de Star Wars: EEE Q T E Q T E UUU I YR Q T E

·         Parabéns pra você: AASAFD, AASAGF, AAKHFDS, KKJGHG

·         Atirei o pau no gato: 5 4 3 2 3 4 555 6 5 444 5 4 333 11 666 76 555 435 435 4321

·         Cai, cai balão: T T R E T T R E T Y T R E W W E R W E R W E R T Y T R E W, Q

·         Garota de Ipanema: 977699 777699 777699 777686 66657 555545

·         Oração:
987 5765357 5765356 676767676797 676767676797 65677 57656567 57653265


·         Asa Branca: 1 2 3 55 341 2 3 5 54 311 2 3 5 54 314 3 3 2 23 2 2 11

·         Sabão Crá-Crá: AF HF AF HF AFFFFDFGDSA, AD GD AD GD ADDDDSDFFFF

·         Mario: HHH FHK A, FAH SDSA AFHK GHF SDA, FAH SDSA AFHK GHF SDA

·         Soft Kitty: 977 866 56789 997 8866 5 6 5

·         Pokémon:
33333211 333212 44445321 133213 33333211 133212 444445321 33213 356335664321 6678855 356653653 133213 33566 33566 356


·         Keyboard Cat: E T U T E TU T W R Y R W R YR W Q E T Q ET E Q QQ QQ Q Q Q Q

·         Hey Jude: 
533562 2348875654 5666987865 1236554321 18765546 8684 86545 654321 18665 5468684 86545654321


·         Redemption Song: Q W E Q R H B Q W E B R E W Q

·         Judas: J KKKKK JHHHGJHGG JJJJL HJ

·         One: D J D G A J A G D J D G A J A G K

·         In the End: 2 6 6 4 3 3 3 342 6 6 4 3 3 3 342 6 6 4 3 3 3 3 4 2 6 6 4 3

·         Run to the Hills: 009, 990, 889, 778

  Por: Ada Maria Dias  e Camille Ferreira

a propaganda do futuro!

A propaganda do futuro
A nova moda do mercado publicitário que vai impactar a maneira como você interage com as propagandas.



Diariamente somos bombardeados com um verdadeiro arsenal de mensagens publicitárias nos mais variados meios e de diversas espécies. Porém nos últimos anos, e principalmente graças à internet, a situação mudou um pouco de figura, permitindo aos usuários mais possibilidades de interação com a mensagem que recebe.


Em tempos de móbile marketing – uma forma de comunicação que visa dialogar com o consumidor, permitindo a ele interagir com a mensagem das mais variadas formas - a novidade do mercado publicitário parecem ser os displays interativos.


embora permitam já uma certa de dose de interatividade com o consumidor, as possibilidades que displays interativos abrem no mercado são muitas. A personalização da propaganda para cada consumidor é uma delas.

A exemplo do que acontece em alguns sites de vendas online, nos quais em sua conta o usuário tem acesso a páginas personalizadas, compras com um único clique e mesmo ofertas que vão ao encontro de seu perfil como consumidor, imagine poder interagir dessa forma dentro de um shopping center ou mesmo na rua?
No futuro não muito distante isto será possível.

Ver a propaganda de um determinado produto, clicar sobre a imagem dele para obter mais informações e, caso seja do seu interesse, comprá-lo online utilizando seus dados pessoais e receber a mercadoria em sua casa. Para as lojas e empresas os displays interativos acabam por se converter em mais um canal de vendas.


video

Por: Camille Ferreira

Arte Clássica interagindo

A interatividade interliga, integra na dimensão de comunicação, com o tempo e espaço, faz com que as redes suportem sua funções, mas não acabando com o pensamento do homem. A interatividade tem muitas variações, onde maior parte é pelas tecnologias midiáticas que junto de um conteúdo interativo se apresenta com uma boa funcionalidade e modificação de atividade que ela comunica.
  As novas formas de comunicação estão se impondo de uma forma cada vez mais interativa, pois essa é a intenção de apresentar para a sociedade. Sua linguagem posta de uma maneira onde todos conseguem entender e interagir com as obras, a arte clássica se apresenta de maneira onde qualquer pessoa se prende a sua interação com o individuo, arte em quais muitos não ligam em saber informações e nem buscam. Com essa nova forma de arte, muitas crianças principalmente podem se interessar pela arte clássica, contemporânea e outras para acrescentar na sua vida cultural.


Aconteceu em Pequim, China, no Museu do Planejamento, uma exposição de arte interativa diferente de qualquer outra que você já tenha visto, a Exposição Mundial de Arte Clássica Interativa (World Classic Multi-Media Interactive Arts Exhibition).

Apresentação da Exposição Mundial de Arte Clássica Interativa em Pequim.The World Classic Interactive Arts Exhibition Beijing

Veja você mesmo:



Thiago Junqueira Pereira

Touch Tudo!





Não seria errado dizer que no dia de hoje, o computador é considerado objeto de necessidade básica para uma grande parcela da população.
O que antes era um enorme apanhado de fios e placas, nos dias atuais, apresenta se em tamanhos cada vez menores, permitindo aos seus usuários um transporte mais facil.
No estudo das Novas Tecnologias na Comunicação, aprendemos a observar o que para muitos passa desapercebido, quando o assunto é meio, forma e processos que culminaram nos avanços da área.
Ao darmos as primeiras "clicadas" quando ligamos o computador, tornamos o mouse uma extensão do nosso braço, e com um simples movimento conseguimos acessar paginas, dar formas e nos conectarmos com inúmeras pessoas, em qualquer canto do mundo.

Em seus primórdios, um equipamento servindo unicamente para uso militar, hoje serve para incluir pessoas nas mais variadas redes sociais, transferir dados, passar relatórios, ver filmes etc.
Através de chamadas de vídeo com audio, a mediação feita pelo computador transmite a sensação de aproximar uma ou mais pessoas, independente da distancia em elas estejam. 
Mas a GUI (Graphical User Interface) não está apenas presente nas telas dos computadores.
Em terminais de pronto atendimento, em caixas automáticos e em dispositivos de tecnologia touch, entramos em contato com esse tipo de dispositivo.
Na maior parte das vezes, em nosso cotidiano, essa interatividade mostra se quase desapercebida, já que a sua interatividade é programada, ou seja, as possibilidades que o agente tem de cometer aquela ação, foi previamente raciocinada e programada dentro das opções do software. 

Tornando mais prática, sustentavel e comoda a vida de quem faz uso desse aparato, a tecnologia e a interatividade mostram se presentes em inúmeros momentos do nosso dia a dia, esperando apenas nós as utilizarmos da melhor e mais criativa forma o possível!


Por Natália Carneiro.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Arte interativa no nosso dia-a-dia. como?

Sinta o tempo & o espaço. YES! WE CAN.
O convívio e troca, artes visuais e tácteis. Uma verdadeira experiência para mexer com os sentidos e provocar reflexão para o momento em que vivemos.  Essa é a ideia do projeto Agora/Ágora, do banco  Santander Cultural de Porto Alegre. Formar  o pensamento do agora como algo a ser construído coletivamente. 

A temática do tempo - que tanto faz parte de nossa vida - é o foco central desse projeto, que aborda o imediatismo, o tudo para ontem, o aqui e o agora, o movimento desenfreado do curso da nossa vida. Tudo isso direcionado para um melhor entendimento do mundo
atual. O  AGORA  é simultâneo e instantâneo.
A arte interativa nesse momento veio para transformar o corpo em uma interface. A mostra reúne o trabalho de 14 artistas nacionais e estrangeiros que abordam questões de tempo e espaço no nosso dia-a-dia.

Todas as obras presentes na exposição, sejam elas pinturas, esculturas ou desenhos, ou integrantes da plataforma web, envolvem esse mesmo tema do tempo  no nosso dia-a-dia.

      * o primeiro  vídeo mostra o túnel e seu funcionamento para simular o movimento e as sensações do tempo e espaço nos nossos dias; presente no projeto.

        *o segundo vídeo possui a mesma função ideológica. so que utilizando o tema da água. sua vitalidade, importância e refrescância para os nossos dias.


   video


video




SANTANDER CULTURAL: RUA SETE DE SETEMBRO, 1028. TEL. (51) 3287-5718. A PARTIR DE 26 DE MAIO DE 2011.
WWW.SANTANDERCULTURAL.COM.BR
  

 Camille Ferreira

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Arte interativa moderna

                                                                     
A arte interativa hoje em dia está presente nas formas simples do cotidiano, onde essa nova mídia se apresenta interativa para a sociedade. Todos querem tocar, ver, simular, onde acaba chamando mais atenção de fato de qualquer pessoa, pois a passividade não é a intenção dessa arte, ela da mais visibilidade ao público de maneira participativa com as suas funções.


 O novo movimento agora é da criação de uma obra, e não de arte abstrata onde apenas se olha aquela coisa chata, parada que necessita de um guia para entender a sua historia. Não esquecendo que não deixa de ser uma arte, mas com uma interação ela se torna mais atrativa para essa nova geração que já está bombardeada de meios publicitários chamando sua "atenção".

  Esse é um comportamento tecnológico da vida moderna, onde acabam trazendo mais aproximação, interesses, conhecimentos, pela sua interação ser a melhor forma de conseguir segurar uma pessoa em frente a uma tela, como o touch screen que te deixa com uma boa percepção do que você está desenvolvendo e o deixando mais habilidoso na sua coordenação e respostas.




Vídeo: Uma exposição diferente, em São Paulo, faz adultos voltarem à infância. Em plena Avenida Paulista, instalações eletrônicas interativas exploram sensação, cor e som - numa mistura de tecnologia e arte.






Ultra-Nature 2008 by Miguel Chevalier at Itau Cultural, Sao Paulo (Brasil)

Projeto de arte interativa do Banco Itau.




Thiago Junqueira Pereira

domingo, 29 de maio de 2011

Um toque futurista

                                          Wave UFO, a obra de seis toneladas

A artista plástica japonesa Mariko Mori,trás  a exposição Oneness, inédita no país. Com linhas futuristas, explorando a conectividade humana com a tecnologia e a natureza. A exposição reúne fotos, desenhos e vídeos da artista.

Há um grande destaque para as obras: Oneness, que dá nome a exposição, e Wave UFO.  "As duas são metáforas: Wave, sobre a entrada em um mundo diferente e Oneness, sobre um outsider que se conecta com outros seres" explica a artista em uma entrevista. Na obra Oneness, são seis alienígenas feitos de Technogel que reagem


 ao toque dos visitantes, e são deformados, porém os alienígenas não perdem sua forma original.  


Já na obra Wave UFO aparência da cápsula espacial chama atenção. Com seis toneladas, a obra pode receber até três visitantes por vez. Dentro da cápsula são colocados três eletrodos na testa do visitante, as ondas cerebrais são captadas por um comppor cada um deles, possibilitando percutador, que as transformam em desenhos digitais únicos, extraídos da mente dos visitantes, trazendo a sensação de que a obra esta sendo feita epções diferentes.

Os seis alienígenas de technogel

As obras de Mariko tem uma interatividade muito interessante, principamente a obra Wave UFo, que depende do visitante para ser vista, e entendida, de acordo com cada mente. vale a pena dar uma conferida nessa exposição. 


Rio de Janeiro
Quando: 9 de maio a 17 de julho de 2011 – de terça a domingo, das 9h às 21h
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro (RJ)
Quanto: Entrada gratuita


Ada Maria Dias


sábado, 28 de maio de 2011

Por favor, toque!

Há alguns anos atrás, o conceito de arte baseava se apenas em um objeto inerte e um individuo situado diante dele. Não havia ali, nenhuma forma de interação entre o homem e aquela expressão artística.
A arte é deliciosa, mas não há interação entre obra- espectador!

A partir dos anos setenta, período pós Segunda Guerra Mundial, os artistas buscaram através de novos recursos, expressar suas visões sobre aquela "nova realidade" que os afrontava. 

Não pertencendo mais a Arte Moderna e redefinindo conceitos, como a relação entre tempo X espaço e homem X criatura, denominou se Arte Contemporânea, aquela performasse que buscava a libertação não só do artista -em seu processo de criação-, mas também daqueles que veriam a obra.

Nesse juízo, a Arte Interativa abraçada ao entendimento de contemporaneidade, têm em um dos seus conceitos fundamentais, estimular a sensorialidade daquele que antes se fazia mero espectador e hoje faz- se agente interativo, capaz e direcionado a se "relacionar" com aquela obra.


O conceito arcaico de "Por favor, não toque!", hoje mostra se reverso. O tocar, não é apenas um ato permitido,  mas também necessário, como vê se no video postado.

Ao tocar no que aparentemente é um lago, o espectador (por nós denominado de interagente - termo usado por Raymond Willam (1979) e citado por Alex Primo em seu livro Quão Interativo é o Hipertexto?) faz com que aquela ação resulte em alguma mudança visual na obra de arte. O que aparenta ser um ato simples, na verdade, denota se de conceitos proprios da Arte Eletrônica


Nela a arte em si, prende a atenção do interagente. Relembrando a ação convencional de se admirar uma obra, e logo depois seguir adiante após um ou dois minutos; nas artes interativas isso ocorre de forma mais demorada.

A vontade de sentir todas as possibilidades que aquela obra pode proporcionar, faz com que o espectador interaja a cada estimulo de forma una (com "N" mesmo), e possa redefinir conceitos e sensações.

O que atrai na arte interativa, não é apenas o fato de poder se admirar uma criação, como também descobrir novas sensações e idéias.

Por Natália Carneiro.

Uma arte interativa muito interessante - Os espelhos de madeira!



O desenhista industrial Daniel Rozin faz arte digital interativa. Atualmente ele é dono da Smoothware Design, Onde  desenvolve softwares para arte interativa. Seus grandes trabalhos consistem em espelhos criados com superfícies não reflectivas, como no exemplo dessa imagem no post de madeira. Ele faz com que suas esculturas interajam com o espectador, tornando o publico o papel principal na criação de suas peças.
Os espelhos de Daniel têm como artifício  a utilização de  uma câmera no centro da peça, por onde a imagem é captada, e faz funcionar os mecanismos "refletindo" a figura de quem está na frente da tela. Seu talento e a busca pela interatividade do seu publico para com suas peças,  é que fazem toda essa diferença em suas exposições. Como em Peg Mirror, de 2007, que utiliza peças de madeira cortada em ângulos e que giram, fazendo sombra uma na outra e assim formando a imagem.
Os trabalhos de Daniel são excelentes, na maneira como ele pensou para a construção de imagens é magnifico e super interativo, tornando o observador também um interator. modificando as esculturas com o movimento de seu corpo. 
video



Camille N. Ferreira